quinta-feira, 26 de junho de 2014

Suarez ... o vampiro!







Luís Suarez seguiu à letra a máxima:
... até os comemos!
Chiellini teve azar... estava na equipa errada.

segunda-feira, 23 de junho de 2014

Peter Sagan Goes Mountain Biking with Marco Fontana




Exibição de dois grandes marafados...

Rui Costa... e vão três suíças...






Rui Costa (Lampre) continua a dar que falar no ciclismo internacional.
Depois da conquista da arco-íris (Campeonato do Mundo) volta a vencer (pela terceira vez consecutiva) a Volta à Suíça.
É obra!

Tiago Machado vence na Eslovénia...



Tiago Machado (NetApp-Endura) vence a Volta à Eslovénia.

Nem só, nem mal acompanhado...

... e ao domingo é suposto que "Deus" descanse.








Cristiano Ronaldo foi o exemplo da falta de soluções.
Sozinho não pode fazer tudo... mal acompanhado muito menos...

Malas feitas?


Adepto dividido... como o resultado...

Portugal foi uma selecção sem tesão (como diria o brasileiro): lenta, pouco esclarecida, com falhas defensivas, um meio campo permeável e previsível nas soluções de ataque.
..."o melhor do mundo" nunca justificou o porquê, ficando sempre mais perto da mediocridade.
Agora (onde é que já vimos isto?) vamos esperar pelo milagre.
Pelo sim, pelo não: rapazes, façam as malas!

domingo, 22 de junho de 2014

Estradas perigosas...



Dois ciclistas mortos e um ferido ligeiro em Navarra, Espanha, quando um camião, que circulava numa estrada sinuosa, se voltou atingindo seis ciclistas.



Noutro acidente, no passado sábado, também em Espanha, Oia (Pontevedra), uma carrinha colheu um pelotão de trinta ciclistas resultando oito feridos, dois com gravidade.
Entre os ciclistas acidentados estava a campeã de Espanha de triatlo de meio fundo, Aida Valino, que sofreu fracturas da clavícula e do cotovelo.

As estradas encerram perigos. Ciclista atento é ciclista vivo...

O Mundial dos "pequeninos"...

Espanha e Inglaterra já estão fora.
A Itália e o Uruguai disputam um lugar nos oitavos.
Portugal não pode perder senão regressa mais cedo à Europa.
A Grécia está por um fio.
Enquanto alguns "grandes" vivem os seus dramas, os "pequenos" (sul-americanos) dão espectáculo e qualificam-se: Colômbia, Costa Rica, Chile... 
Um Mundial imprevisível...é bom!


 L. Suarez reabriu as portas dos oitavos para o Uruguai...

Costa Rica derrota a favorita Itália...

quinta-feira, 19 de junho de 2014

A queda do mito...





Imagens que simbolizam a derrocada de uma equipa modelo.
Depois de ter vivido no céu, conquistando tudo o que lhe foi possível conquistar, a equipa de Espanha caiu direitinha no inferno, abrindo as portas à renovação de grandes jogadores - Xavi, Iniesta, Casillas, David Silva, entre outros - que nos deliciaram nos últimos anos com um futebol de magia.
Rei morto, rei posto. A bola continuará a rolar...

terça-feira, 17 de junho de 2014

sexta-feira, 13 de junho de 2014

Mundial com humor...

Depois de um resultado inesperado e histórico - Espanha 1 - Holanda 5 - fica o humor do adepto...

"O pior não é perder por 5-1, o pior é que o resultado foi justo" 

 Van Persie o Super Homem...

 A defesa espanhola...

 Nem Ele acreditou...

Sem comentários...

Vicente del Bosque antes e depois da derrota por 5-1, frente à Holanda...


quarta-feira, 11 de junho de 2014

Maracanaço...

Ano de 1950.
Consta que se viveram momentos de grande euforia e convencimento por terras de Vera Cruz.
De véspera anunciava-se a vitória do Brasil no Campeonato do Mundo de Futebol.
Faltava jogar a final no Maracanã.
O Uruguai estava ali pronto, mesmo a jeito, e 200 mil brasileiros comemoravam antecipadamente...
Diz-se que: "... não se deve atirar foguetes antes da festa..."
Quando o árbitro apitou para o final do jogo não houve festa... "foi um silêncio que vem de dentro"...
O Brasil perdeu a final que se anunciava vencida.
O Uruguai foi o último a rir-se e levou o "caneco"...

O estádio de Maracanã...

 O golo fatal... de Ghiggia.

Alcides Ghiggia, de 87 anos, o único sobrevivente do "Maracanaço" de 1950.

"Apenas três pessoas, com um único gesto, silenciaram o Maracanã com 200 mil pessoas: Frank Sinatra, o Papa João Paulo II e eu"
Comentário de Alcides Ghiggia autor do golo que derrotou o Brasil em 1950.

"Dizem que o silêncio não tem voz. Que silêncio é silêncio.
 Foi talvez o barulho pior que ouvi na minha vida. Foi um silêncio que vem de dentro, apocalíptico, de "amargedão". Parecia que o mundo todo tinha parado. Foi a primeira vez que como adulto eu chorei. Chorei com a impressão de que não tinha mais nada para fazer na vida. Que os meus dias na terra não contavam mais. Isso foi um sentimento geral que custou muito a digerir".
Memórias do jornalista Carlos Heytor Cony que assistiu no Maracanã à derrota do Brasil.

terça-feira, 10 de junho de 2014

A estátua...



Rafael Nadal ganha estátua feita de terra...
Uma obra à medida do artista.

terça-feira, 3 de junho de 2014

A selfie da selecção...

Uma selfie cheia de estilo... de Raul Meireles...